Usted está aquí: Inicio / 2017 / (português) RESOLUÇÃO A RESPEITO DO MOVIMENTO DE BANGOR

(português) RESOLUÇÃO A RESPEITO DO MOVIMENTO DE BANGOR

resolução ICOR, 29 de Junho de 2017

 

A população de Bangor, em Bengala Ocidental, Índia, está numa luta encarniçada. Sob a direcção do Comité pela Protecção da Vida, das Bases da Existência, do Meio Ambiente e da Ecologia (Jomi Jibika, Poribesh evam Bastutantra Suraksha Samiti), está a lutar contra a rede de electricidade de 400 kilovoltes que lhe querem impor. A luta já dura há muitos meses. A população está a defender-se da apropriação depredadora, destrutiva das terras e dos danos causados às pessoas e aos animais (sobretudo a piscicultura) que são de esperar pelos campos electromagnéticos. Devido à feroz resistência das pessoas, o partido do Congresso Trinamool (TMC) (governo de Bengala Ocidental) teve que abandonar temporariamente o projecto. Mas só o fez depois da morte de dois jovens provocada por disparos da polícia, jovens que se tornaram mártires da resistência. Centenas de pessoas da região foram detidas, incluindo os camaradas Pradeep Singh Thakur e Sharmistha Choudhury e outros camaradas dirigentes do CPI (ML) Red Star. No entanto, o governo planeia continuar o projecto o mais rapidamente possível, de maneira antidemocrática, ilegal e sem que o povo seja consultado.

Na tentativa de quebrar a resistência, o governo acusa de maneira ilícita os detidos, recorrendo à lei de prevenção de actividades ilegais (Unlawful Activities Prevention Act, UAPA), a qual será usada para acusar as organizações que o governo qualifica como “terroristas”. Houve protestos maciços em todo o país exigindo o fim do projecto, a abolição da UAPA, a libertação de todos os detidos e a indeminização dos afectados. Todos os partidos da esquerda, incluindo o CPI, o CPI (M), o CPI (ML) Libertação, o PCC CPI (ML) e muitos outros reuniram-se aos protestos. Também nós manifestamos a nossa solidariedade internacional com estes protestos.

Hoje, milícias do TMC estão a percorrer as ruas ao redor das quinze povoações afectadas e, não podendo entrar, passaram a atacar os habitantes das povoações quando destas saem. As povoações estão perante um bloqueio económico, os habitantes são agredidos ou detidos, inclusive quando saem das suas povoações para fazerem compras essenciais, para irem ao banco, para irem trabalhar, etc. Alimentos importantes, como leite e legumes, não podem entrar nas aldeias. Um grupo, ao qual pertencia um juiz reformado do Supremo Tribunal, foi barrado e espancado.

Nós apoiamos plenamente a luta do povo de Bangor pelas suas vidas, pelos meios de subsistência, pelo meio ambiente e pela ecologia. Exigimos o fim imediato do bloqueio económico às aldeias de Bangor. Apelamos a todas as forças democráticas e de esquerda da Índia para que assumam esta questão, não só como uma questão do meio ambiente, mas também como dos direitos democráticos. Agiremos para informar a classe trabalhadora e os povos oprimidos dos nossos próprios países sobre este movimento e para os apoiar na mobilização.

 

 

Signatários (a partir de 28 de Junho de 2017, é possível mais signatários):

 

1. ORC Organisation Révolutionnaire du Congo (Organização Revolucionária do Congo), República Democrática do Congo

2. MMLPL Moroccan Marxist-Leninist Proletarian Line (Marxistas-Leninistas Marroquinos Linha Proletária)

3. CPSA (ML) Communist Party of South Africa (Marxist-Leninist) (Partido Comunista da África do Sul (Marxista-Leninista))

4. MLOA Marxist-Leninist Organization of Afghanistan (Organização Marxista-Leninista do Afeganistão)

5. CPB Communist Party of Bangladesh (Partido Comunista do Bangladesh)

6. CPI (ML) Red Star Communist Party of India (Marxist-Leninist) Red Star (Partido Comunista da Índia (Marxista-Leninista) Estrela Vermelha)

7. Ranjbaran Hezb-e Ranjbaran-e Iran (Partido Proletário do Irão)

8. NDMLP New-Democratic Marxist-Leninist Party (Partido Marxista-Leninista da Nova Democracia), Sri Lanka

9. Krasnyj Klin Gruppa Kommunistov-Revoljucionerov „Krasnyj Klin“ (Grupo de Revolucionários Comunistas "Krasnyj Klin" [Cunha Vermelha]), Bielorrúsia

10. БКП Българска Комунистическа Партия (Partido Comunista Búlgaro)

11. БРП(к) Българска Работническа Партия (комунисти) (Partido Operário Búlgaro (Comunistas))

12. KSC-CSSP Komunisticka Strana Cheskoslovenska – Cheskoslovenska Strana Prace (Partido Comunista da Checoslováquia – Partido Operário Checoslovaco), República Checa

13. MLPD Marxistisch-Leninistische Partei Deutschlands (Partido Marxista-Leninista da Alemanha)

14. KOL Kommunistische Organisation Luxemburg (Organização Comunista do Luxemburgo)

15. RM Rode Morgen (Amanhecer Vermelho), Países Baixos

16. BP (NK-T) Bolşevik Parti (Kuzey Kürdistan-Türkiye) (Partido Bolchevique (Curdistão do Norte-Turquia))

17. MLP Marksistsko-Leninskaja Platforma (Plataforma Marxista-Leninista), Rússia

18. RMP Российская маоистская партия (Rossijskaya maoistskaya partiya) (Partido Maoísta Russo)

19. MLGS Marxistisch-Leninistische Gruppe Schweiz (Grupo Marxista-Leninista da Suiça)

20. TIKB Türkiye İhtilalci Komünistler Birliği (União de Comunistas Revolucionários da Turquia)

21. KSRD Koordinazionnyj Sowjet Rabotschewo Dvizhenija (Conselho de Coordenação do Movimento Operário), Ucrânia

22. PR Partija Rada (Partido do Trabalho), Jugoslávia (ex)

23. PR-ByH Partija Rada - ByH (Partido do Trabalho – Bósnia – Herzegovina), Bósnia - Herzegovina

24. PCC-M Partido Comunista da Colômbia – Maoísta

25. PC (ML) Partido Comunista (Marxista Leninista), República Dominicana

26. PC/ML Partido Comunista (Marxista-Leninista) do Panamá

27. PML del Perú Partido Marxista Leninista do Peru

28. PPDS Parti Patriotique Démocratique Socialiste (Partido Patriótico Democrático Socialista), Tunísia

 

Assinado após a data de lançamento:

29. SMKC Svaz Mladych Komunistu Cheskoslovenska (União dos Jovens Comunistas da Checoslováquia), República Checa

Acciones de Documento