Declaração da ICOR:

Fim do bárbaro terrorismo de Estado e da guerra contra o povo palestiniano!Solidariedade mundial com a luta de libertação palestiniana!Parem o bombardeamento devastador de Gaza!

ICOR, 

Caros camaradas, No início do novo ano de 2024, podemos agora publicar uma declaração da ICOR sobre a Palestina. Este é o resultado de um processo de discussão muito criativo e fundamental que deve ser continuado. Muito obrigado por todos os comentários e sugestões de melhoria! Conseguimos 26 das 32 aprovações necessárias, o que constitui o nível mais elevado de aprovação mais elevado de todos os projectos anteriores. Mas ainda não é suficiente para uma resolução, pelo que, de acordo com as nossas decisões sobre a publicação faseada e estou a publicá-la inicialmente como uma declaração e não como uma resolução. Haverá certamente mais aprovações, de modo a que acabe por se tornar uma resolução. Este é um bom ponto de partida para o novo ano. A guerra bárbara de Israel continuará a exigir a nossa solidariedade e, de facto, um aumento da mesma. Já deveríamos estar a trabalhar para um um espetacular Dia Mundial de Ação pela Nakba e outras actividades coordenadas. Infelizmente, poucos de vós dão conta do que estão a fazer na prática. É também para isso que serve o website da ICOR! Saudações calorosas e revolucionárias para uma boa cooperação em 2024 sob o lema "Os ensinamentos de Lenine estão vivos! Monika Gärtner-Engel Coordenadora principal

A ICOR condena veementemente e com repugnância a declaração da lei marcial, os bombardeamentos brutais, o bloqueio total de Gaza e o uso de tropas terrestres pelo governo sionista-fascista sionista-fascista israelita de Netanyahu.

O Estado sionista de Israel recorreu a uma crueldade desenfreada, declarando o estado de emergência e de guerra para acelerar o massacre da população palestiniana na Faixa de Gaza, da Cisjordânia ao Líbano, e para expandir a sua ocupação colonial que dura há décadas, em violação do direito internacional.

Com a ofensiva terrestre de Israel, a guerra de Gaza atingiu um novo nível de crimes de guerra. Até ao final de dezembro de 2023, 25 137 pessoas, dois terços das quais crianças ou mulheres, tinham morrido numa saraivada de bombas e projécteis israelitas, 7.000 estavam desaparecidas e 55.000 tinham ficado feridas, enquanto 1,5 milhões de pessoas foram obrigadas a fugir. A agressão sionista de Israel está a transformar-se num genocídio contra civis inocentes. Acabem imediatamente com esta guerra sangrenta!

Nos últimos anos, e mais ainda com o governo de Netanyahu, que não é fundamentalmente diferente dos políticos burgueses da "oposição", a política de colonatos está a roubar ao povo palestiniano as suas terras, espezinha o direito do povo palestiniano à sua autodeterminação e o direito à vida e utiliza a ideologia sionista para difundir uma ilusão racista de superioridade hostil à humanidade.

Nada disto seria possível sem o apoio dos governos imperialistas, sobretudo do imperialismo americano, mas também da UE imperialista, em termos económicos, militares e políticos!

É necessária uma resistência global decisiva!

O ataque do Hamas, em aliança com outras forças, está a ser utilizado pelo governo israelita como pretexto para desencadear uma guerra que poderá alastrar-se em lavaredas por toda a região.

O internacionalismo proletário exige que a classe trabalhadora e as forças anti-imperialistas de todo o mundo se unam na luta pela libertação e pelo socialismo.

Apoiamos fundamentalmente a resistência palestiniana, apesar das nossas críticas às alternativas políticas e ideológicas das forças islamistas.

Condenamos o apoio irrestrito dos EUA, da UE e de todas as forças imperialistas a Israel, bem como todos os tipos e formas de interferência imperialista no conflito.

As posições controversas no seio da ICOR têm sido intensamente discutidas nos últimos meses, publicadas abertamente no website da ICOR e requerem mais esclarecimentos através da cultura proletária de debate típica da ICOR. Convidamos todos os revolucionários e combatentes de libertação para este debate!

Protestar decididamente contra o terrorismo de Estado do governo de Netanyahu!

Solidariedade com a luta de libertação do povo palestiniano!

Defendamos ativamente o seu direito de resistir à ocupação e à opressão!

Liberdade para todos os presos políticos democráticos!

Combater a repressão dos Estados imperialistas contra a solidariedade progressista da Palestina!

Viva o internacionalismo proletário na luta pela democracia, pela liberdade e pela

liberdade e pelo socialismo!

Signatários (a partir de 1 de janeiro de 2024, sendo possíveis mais signatários):

  1. PCPCI Parti Communiste Proletarien de Côte d'Ivoire (Partido Comunista Proletário da Costa do Marfim)

  2. MMLPL Moroccan Marxist-Leninist Proletarian Line (Marxistas-Leninistas Marroquinos, Linha Proletária)CPSA (ML) Communist Party of South Africa (Marxist-Leninist)

  3. CPSA (ML) Communist Party of South Africa (Marxist-Leninist) (Partido Comunista da África do Sul (Marxista-Leninista))

  4. PCT Parti Comuniste du Togo (Partido Comunista do Togo)

  5. PPDS Parti Patriotique Démocratique Socialiste (Partido Patriótico Democrático Socialista), Tunísia

  6. NCP (Mashal) Nepal Communist Party (Mashal) (Partido Comunista do Nepal (Marshal))

  7. PPRF Frente Republicana do Povo Patriótico do Nepal

  8. CPA/ML Communist Party of Australia (Marxist-Leninist) (Partido Comunista de Australia (Marxista Leninista))

  9. БКП Българска Комунистическа Партия (Partido Comunista Bulgaro)

  10. PR-ByH Partija Rada - ByH (Party of Labor - Bosnia and Herzegovina)

  11. MLPD Marxistisch-Leninistische Partei Deutschlands (Partido Marxista-Leninista da Alemanha)

  12. UC Unité Communiste (União Comunista), França

  13. UPML Union Prolétarienne Marxiste-Léniniste (União Marxista-Leninista Proletária), França

  14. KOL Kommunistische Organisation Luxemburg (Organização Comunista do Luxemburgo)

  15. RM Rode Morgen (Amanhecer Vermelho), Países Baixos

  16. UMLP União Marxista-Leninista Portuguesa

  17. MLP Marksistsko-Leninskaja Platforma (Plataforma Marxista-Leninista), Rússia

  18. MLKP Marxist-Leninist Komünist Parti Türkiye / Kürdistan (Partido Marxista-Leninista da Turquia/ Curdistão)

  19. KSRD Koordinazionnyj Sowjet Rabotschewo Dvizhenija (Concelho de Coordenação do Movimento da Classe Trabalhadora), Ucrânia

  20. UMU Union of Maoists of the Urals (União de Maoístas do Urais), Rússia

  21. PCC-M Partido Comunista da Colômbia – Maoista

  22. PCP (independiente) Partido Comunista Paraguaio (independente)

  23. BDP Bloco Democrático Popular, Peru

  24. PPP Partido Proletário do Peru

  25. PC (ML) Partido Comunista (Marxista-Leninista), República Dominicana

  26. BP (NK-T) Bolşevik Parti (Kuzey Kürdistan-Türkiye) (Bolshevik Party (North Kurdistan-Turkey))

  27. UPC-Manidem Union des Populations du Cameroun - Manifeste National pour l’Instauration de la Démocratie (Unión de Poblaciones de Camerún - Manifiesto nacional para el establecimiento de la democracia)

  28. Symp.PFLP   Sympathisanten der PFLP (Simpatizantes del PFLP), Alemania